domingo, 1 de dezembro de 2019

O passado teimando em voltar!

 
 
No Rio Grande do Sul, novamente os professores estaduais estão em greve.
A primeira foi em 1979 e depois houve muitas outras.
 
Já em 1956, a categoria promove um ato público em frente ao Palácio do Governo, discutindo pela primeira vez a possibilidade de realizar uma paralisação grevista.
O Governador era Ildo Meneghetti.
 
 
1980
 
 1982 
 
1983
 
 
1985, 60 dias de greve!
 
 
 
E a desculpa para a não valorização dos servidores públicos no Estado do Rio Grande do Sul é sempre a mesma:
 
Chargespublicada na Agenda Sulina de 1983
 
Amaral de Souza foi governador indicado do Rio Grande do Sul entre 1979 e 1983 e já alegava que não tinha como dar aumento para os professores.

Mais postagens sobre as greves dos professores:



 
 
 
 
Mas não só as greves voltaram.
Lá pelas bandas do governo federal o passado também parece estar se repetindo:
 
 
Charge publicada na Agenda Sulina, 1985.
 
 
Em 1985, Aureliano Chaves (vice-presidente de Figueiredo), Marco Maciel (Ministro da Educação) e Jorge Bornhausen (Senador) rompem com o Governo Figueiredo fundam o Partido da Frente Liberal (atual DEM).
Na charge, Aureliano.
 
 
Qualquer semelhança com um partido que uns e outros estão querendo criar é mera coincidência!



 

 
 
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário