sexta-feira, 3 de maio de 2019

Aniversário do Sampa!

Hoje, 3 de maio, SamPaulo completaria 88 anos.
Partiu cedo.
Foi e é uma enorme perda para nós, sua família e, sem falsa modéstia, para o humor brasileiro.
Seu humor era crítico, nos levando à reflexão.
Como seriam importantes as suas "sacadas" nos tempos sombrios em que vivemos hoje.
Saudade, tio querido.
Maria Lucia
p.s. um GRANDE abraço para sua irmã gêmea Theresa, a sua Theresinha.


Da série "Só mudam as moscas":

 *27 de abril de 1991




 
 *1980
 
 
*1990
 
*1992
 
E para terminar, uma matéria do Diário de Notícias de 1958!
 

sábado, 6 de abril de 2019

SamPaulo, o Inter e o Beira Rio!

Hoje, o Gigante da Beira Rio está de aniversário, 50 anos, e no dia 4 passado o Inter comemorou seus 110 anos.
Não poderíamos deixar de comemorar aqui estas datas.
Imagino que, a estas alturas do campeonato, seja do conhecimento de todos que SamPaulo foi um baita colorado!
Viva o Inter e um abraço a todos!
Maria Lucia
 
"Era um domingo, 6 de abril de 1969. Naquela tarde, o Inter entraria em um novo patamar. Depois de 38 anos nos Eucaliptos, o clube inaugurava outra casa: o estádio José Pinheiro Borda, que entrou para a história e para o coração dos torcedores como o Gigante da Beira-Rio."
 
 
 
No dia 5 de abril de 1969, SamPaulo publicava na Folha da Tarde (RS) a charge com o negrinho (que para ele representava o Inter)
mudando de casa.
 
 
Publicada no dia seguinte:



















E para comemorar os 110 anos do Inter, uma charge de 1957:



  
Mais publicações no blog sobre o Gigante da Beira Rio:
 
 

domingo, 31 de março de 2019

DITADURA NUNCA MAIS!

 "Em 1979, o então presidente militar João Baptista Figueiredo assinou a lei nº 6.683, que concedia, em seu artigo 1º, anistia aos que tivessem cometido 'crimes políticos ou praticados por motivação política'. A saída encontrada para a transição democrática brasileira não beneficiou apenas os militares, mas também exilados políticos e ex-guerrilheiros envolvidos na luta armada entre 1964 e 1985."

 * charges publicadas nas agendas Sulina nos anos 1980.
 


*em 1982, foram eleitos os primeiros governadores pelo voto direto. 
As eleições diretas haviam sido proibidas pelo golpe de 1964.
 
 
 
Postagens anteriores sobre o golpe e sobre a ditadura militar:
 
 
 
 
 

domingo, 3 de março de 2019

Verão, carnaval, férias e feriadão!

1963
SamPaulo ilustrava a previsão do tempo no Diário de Notícias (Porto Alegre)
 

anos 1960
Revista do Globo (Porto Alegre)
 
 
1986
Alceu Collares é eleito Prefeito de Porto Alegre pelo PDT
 
 
 1989
Zero Hora (Porto Alegre)
 
1981
Agenda Sulina
 
 

 
E uma homenagem ao Presidente João Goulart que nasceu há 100 anos (1.3.1919):
 

17.5.1963
Diário de Notícias (Porto Alegre)
 
 
 

 
 
 

 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

20 anos sem SamPaulo


                                                                 foto de 1994


Há vinte anos, nosso querido Paulo, o grande cartunista SamPaulo, foi viver em outras plagas.

Acreditamos que, mesmo aqueles que não o conheceram pessoalmente têm saudade da forma inspirada com que captava o cotidiano, saudade do seu olhar crítico e da sensibilidade que acompanharam diariamente os gaúchos por muitos anos.
Lembremos dele com carinho. Temos certeza que ele receberá.

                                                                            Família Sampaio 




 

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Salve Brizola!

No dia 22 de janeiro de 1922 nascia em Carazinho (RS), o grande brasileiro Leonel de Moura Brizola.
SamPaulo era brizolista e iniciou sua carreira de chargista em 1955 no tabloide "Clarim", fundado e dirigido por Brizola e usado por ele para promover sua segunda candidatura à prefeitura de Porto Alegre.
Naquela ocasião, uma charge de SamPaulo mudou o rumo das eleições que Brizola disputava com o caxiense Euclides Triches:

 
 
“O Reizinho” surgiu como cartum humorístico (não-quadrinho) na revista “New Yorker”, em 1931. Quando o contrato da “New Yorker” com o autor, Otto Soglow, expirou, em 1934, o personagem transferiu-se para o distribuidor King Features. Logo “O Reizinho” passou a ser publicado no formato de história em quadrinhos (as dominicais de “Reizinho” assinadas por Soglow saíram entre nós, nos anos 50, no “Suplemento Infantil” do “Diário de S. Paulo”, no suplemento em cores de “O Jornal” do Rio de Janeiro e em outras publicações).
 

 
 
Campanha de 1958 para o Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
Brizola venceu Peracchi com 57,22%.








Copa do Mundo, Brasil campeão!
 
Aqui, SamPaulo cria dois "a pedido" (propagandas pagas nos jornais) com duas expressões muito usadas na época:
"De fritar bolinho" era a pessoa que é incapaz, que não resolve nada.
"Não é flor que se cheire" era a pessoa em quem não se podia confiar.


 
 
Ildo Meneghetti, governador eleito em 1954, apoiava Peracchi.


 

“Percebia-se uma aproximação maior do PTB com o PCB (Partido Comunista Brasileiro), que apoiava os candidatos nacionalistas, afirmando que a luta pelo nacionalismo era a questão política fundamental. Os inimigos eram todos aqueles que apoiavam o capital estrangeiro, então chamados de entreguistas.
Mas o flerte comunista com o PTB no pleito de 1958 não chegou a ser bem correspondido por Brizola. Pelo menos não abertamente, o que gerou um episódio engraçado citado por historiadores. O PCB emitiu uma manifestação de apoio ao partido trabalhista. Logo depois, em uma entrevista, Brizola disse que não aceitaria. A resposta veio em outra entrevista, dada por Luiz Carlos Prestes, o líder comunista que ficou celebrizado como Cavaleiro da Esperança e que, naquele momento, era secretário-geral do PCB. 'A opinião do senhor Brizola sobre nosso apoio é irrelevante. Nós vamos apoiar o melhor candidato, e o melhor candidato é ele', proclamou Prestes."




 
 
1980
"O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concede a legenda e a sigla do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) ao grupo encabeçado pela ex-deputada Ivete Vargas, que havia feito o pedido de registro antes do ex-governador Leonel Brizola. A decisão é um golpe nos planos de Brizola, que pretendia retomar a sigla histórica depois de 15 anos de exílio. Ao saber da decisão do TSE, Brizola chorou e, num gesto teatral, escreveu as letras PTB em uma folha de papel para em seguida rasgá-la diante das câmeras."

 
Mais sobre Brizola:
 


 https://palavrastodaspalavras.wordpress.com/2014/01/25/uma-decada-sem-brizola-por-paulo-timm-torres-rs/